Casuística do internamento pediátrico de curta duração de um hospital terciário: uma nova realidade?; Casuistic report of pediatric short stay observation unit of a tertiary hospital: a new reality?

Authors

  • Rosa Martins Departamento de Pediatria, Hospital de Santa Maria (CHLN), Centro Académico de Medicina de Lisboa.
  • Catarina Salgado Departamento de Pediatria, Hospital de Santa Maria (CHLN), Centro Académico de Medicina de Lisboa.
  • Rita Espírito Santo Departamento de Pediatria, Hospital de Santa Maria (CHLN), Centro Académico de Medicina de Lisboa.
  • Cátia Pereira Departamento de Pediatria, Hospital de Santa Maria (CHLN), Centro Académico de Medicina de Lisboa.
  • Gabriela Araújo e Sá Departamento de Pediatria, Hospital de Santa Maria (CHLN), Centro Académico de Medicina de Lisboa.
  • Maria do Céu Machado Departamento de Pediatria, Hospital de Santa Maria (CHLN), Centro Académico de Medicina de Lisboa.

DOI:

https://doi.org/10.25754/pjp.2017.7945

Keywords:

Adolescente, Criança, Hospital Pediátrico, Hospitalização/estatística & dados numéricos, Serviço Urgência Hospitalar/estatística & dados numéricos, Unidades Hospitalares

Abstract

Introdução: A sala de observação pediátrica e a unidade de internamento de curta duração têm como finalidade o internamento de doentes instáveis ou cujo internamento se espera breve. A análise dos resultados é importante para aferir a qualidade. Pretendeu-se caracterizar os internamentos na sala de observação pediátrica / unidade de internamento de curta duração do serviço de urgência pediátrica de um hospital terciário.

Métodos: Estudo retrospetivo dos internamentos na sala de observação pediátrica / unidade de internamento de curta duração durante um período de um ano, com base na revisão dos processos clínicos.

Resultados: Registaram-se 1557 internamentos, 3,9 % das admissões no serviço de urgência pediátrica. A mediana da idade foi de 5 anos e 55,9% eram do género masculino. A patologia aguda foi responsável por 71% dos internamentos, a agudização de doença crónica por 19,9% e o recobro de cirurgias / técnicas por 8,7%. A mediana da duração do internamento foi de 13 horas, superior nos meses de inverno (p = 0,004). Os motivos mais frequentes de internamento foram os acidentes / comportamentos de risco (n = 391), seguido de patologias gastrointestinais (n = 352) e respiratórias (n = 191). No grupo dos acidentes, a traumatologia foi o principal motivo de admissão (n = 281), seguido de ingestão / aspiração de corpo estranho (n = 46), ingestão medicamentosa (n = 35), ingestão de cáustico (n = 11) e intoxicação alcoólica (n = 9). Os doentes crónicos são maiores consumidores de serviços de saúde, tendo um maior tempo de internamento (p < 0,001) e mais internamentos em enfermaria (p < 0,001).

Downloads

Download data is not yet available.

Published

2017-05-18

Issue

Section

Case series

Most read articles by the same author(s)

1 2 3 > >>