Hemangioma Cervico-Laringo-Facial na Criança: Tratamento com Interferon a-2b

Authors

  • M. Sameiro Barreirinho
  • Miguel Taveira
  • Carmen Carvalho
  • Clara Barbot
  • Ana Ramos
  • Herculano Rocha
  • Conceição Rosário

DOI:

https://doi.org/10.25754/pjp.2000.5416

Keywords:

Hemangioma, criança, interferon a

Abstract

Os hemangiomas são os tumores mais frequentes da infância, geralmente de pequenas dimensões e com regressão espontânea.

Alguns, pelo seu tamanho e/ou localização, associam-se a complicações que põem em risco a vida da criança.

Os autores apresentam o caso clínico de uma criança do sexo feminino, com hemangioma extenso da face, complicado de ulceração e necrose do repto nasal e lábio superior, redução importante da fenda palpebral direita, dificuldade respiratória com estridor marcado e necessidade de ventilação mecânica.

A gravidade clínica e a ausência de resposta ao tratamento com prednisolona oral motivaram a instituição de interferon a-2b (3 000 000 UI/m2/dia, subcutâneo) durante 20 meses com desaparecimento da dificuldade respiratória e redução progressiva do hemangioma. O estudo efectuado revelou vasos cerebrais anormais nomeadamente as artérias carótida interna, comunicante posterior e cerebral posterior direitas.

Aos dois anos de idade foi detectada uma diplegia espástica.

Suspendeu-se o tratamento com interferon e iniciou fisioterapia. Actualmente, com três anos de idade, apresenta regressão franca do hemangioma, progressos importantes na marcha e o restante desenvolvimento psicomotor é normal.

Este caso reporta a eficácia do interferon a no tratamento de hemangiomas graves em alternativa à corticoterapia sistémica. Menciona-se a diplegia espástica como um possível efeito colateral recentemente imputado ao interferon e a importância do exame neurológico durante este tratamento, permitindo um diagnóstico precoce e minimizar as sequelas.

Downloads

Download data is not yet available.

Issue

Section

Case reports

Most read articles by the same author(s)

<< < 1 2