Recém-nascidos Leves para a Idade Gestacional numa População Suburbana. Incidência e Factores de risco.

Authors

  • Maria Joana Saldanha
  • Maria do Céu Machado
  • Ana Cristina Matos
  • Filomena Pinto
  • Rosalina Barroso
  • Helena Carreiro

DOI:

https://doi.org/10.25754/pjp.2003.5058

Keywords:

Recém-nascido leve para a idade gestacional, factores de risco, morbilidade neonatal

Abstract

Introdução

Foi objectivo deste trabalho de caso-controlo prospectivo e longitudinal conhecer a incidência de recém-nascidos leves para a idade gestacional durante um ano no Hospital Fernando Fonseca, identificar alguns dos possíveis factores de risco e as complicações surgidas até à alta hospitalar.

Participantes e métodos

Foram incluídos os recém-nascidos com peso abaixo do percentil 10 das Tabelas de Lubchenco e um grupo de controlo com peso adequado. Colheram-se dados do contexto socio-demográfico da farmlia, da história materna e do parto. Registaram-se os dados de observação dos recém-nascidos, da ecotransfontanelar e evolução clínica hospitalar.Os recém-nascidos leves para a idade foram classificados em simétricos ou assimétricos e calculou-se um valor 20% inferior ao valor do percentil 10 para identificação de atraso de crescimento mais grave.Na análise estatística as médias foram comparadas pelos testes de análise de variância e Kruskal-Wallis (para distribuições não normais) e as frequências com o teste do Qui quadrado, calculando-se as respectivas "odds ratios" com intervalos de confiança a 95%.

Resultados

De 12-1-98 a 11-1-99 dos 5503 nados vivos no hospital, 199 eram leves para a idade gestacional, calculando-se uma incidência de 3,61%. Foram estudados 193 dos quais 33 prétermos. No grupo de controlo incluíram-se 182 com peso adequado, dos quais 25 prétermos.Encontraram-se diferenças significativas quanto à média das idades das mães, altura e peso pré e no fim da gestação e respectivo índice de Massa Corporal. As mães dos recém-nascidos leves para a idade gestacional tinham significativamente hábitos tabágicos mais acentuados e história de toxicodependência, vivendo em condições socio-económicas mais difíceis. Em maior número estas mães já tinham tido anteriormente filhos leves para a idade gestacional. A hipertensão arterial, quer prévia quer induzida pela gravidez, complicou mais frequentemente estas gestações.A morbilidade neonatal foi mais acentuada nos recém-nascidos com peso inadequado, traduzida nomeadamente por um maior número dc internamentos na Unidade de Neonatologia, duração mais prolongada destes, e de maior número complicações. Verificaram-se também diferenças na presença de anomalias e infecções congénitas assim como de patologia na ecografia transfontanelar. Os recém-nascidos leves prétermos, os simétricos e os sofrendo de um atraso de crescimento mais grave foram os que tiveram maior morbilidade e tempo de internamento.

Conclusões

Os nossos dados corroboram a ideia que nascer leve para a idade gestacional é um factor importante de morbilidade neonatal.Alguns dos factores de risco associados a esta condição são susceptíveis de intervenção médica e/ou socio-económica levando à redução da sua incidência e a uma melhoria da saúde matemo-infantil,

Downloads

Download data is not yet available.

Issue

Section

Original articles

Most read articles by the same author(s)

<< < 1 2 3