Evolução das perturbações de espectro do autismo. Possíveis factores preditivos?

  • alda mira coelho Hospital de S.Joao-Porto
  • Ana Aguiar
  • Cristina Nunes

Abstract

É importante compreender os factores que podem contribuir para prever a evolução das perturbações de espectro do autismo, nas suas diferentes trajectórias, no sentido de melhorar as estratégias de intervenção e o prognóstico. Os objectivos do presente estudo foram avaliar um grupo de 30 crianças, diagnosticadas com PEA aos 3 anos e reavaliadas 3 anos depois, comparando o grupo que teve uma evolução mais favorável com o que teve pior evolução, no sentido de tentar pesquisar a existência de factores preditivos precoces. As crianças foram avaliadas com a Childhood Autism Rating Scale para quantificar a gravidade dos sintomas e com o Psycho-educational Profile Revised para determinar o perfil desenvolvimental e comportamental. Seleccionámos dois grupos, com diferente grau de gravidade, com base nos resultados da CARS no primeiro momento de avaliação.

Encontrámos diferenças estatisticamente significativas entre os grupos de melhor e pior evolução na avaliação efectuada com PEP-R.

Também verificámos que a CARS parece ter um valor preditivo satisfatório uma vez que se observou uma correlação significativa entre a CARS e algumas escalas do PEP-R.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biography

alda mira coelho, Hospital de S.Joao-Porto
pedopsiquiatra,responsável pela consulta de Perturbações de espectro do Autismo e pedopsiquiatria de ligação nos Serviços de Pediatria e Psiquiatria do HSJ
Published
2014-01-28
Section
Original articles