Que Fatores Levam ao Abandono de Crianças do Serviço de Urgência Antes da Observação Médica?

Authors

  • Rodrigo Sousa Departamento de Pediatria, Hospital de Santa Maria (CHLN), Centro Académico de Medicina de Lisboa
  • Ana Escária Centro de Gestão, Hospital Beatriz Ângelo, Loures, Portugal
  • Marta Mota Centro de Gestão, Hospital Beatriz Ângelo, Loures, Portugal
  • Sofia Costa Lima Departamento de Pediatria, Hospital Beatriz Ângelo, Loures, Portugal
  • Paulo Oom Departamento de Pediatria, Hospital Beatriz Ângelo, Loures, Portugal

DOI:

https://doi.org/10.25754/pjp.2016.7406

Keywords:

Abandono de Doente, Criança, Hospital Pediátrico, Serviço Hospitalar de Emergência/estatí sti ca & dados numéricos, Tempo de Espera, Triagem

Abstract

Introdução: Com a exceção do tempo de espera prolongado, pouco se sabe acerca de outras possíveis causas para o abandono de doentes do serviço de urgência pediátrico antes da avaliação médica.

Métodos: Estudo caso-controlo retrospeti vo com recurso a base de dados eletrónica de doentes que recorreram ao serviço de urgência pediátrico de um hospital do grupo II durante um ano. Foram considerados como casos os doentes que após a triagem abandonaram o hospital antes da observação médica e como controlos os restantes. Foram avaliadas variáveis demográficas, temporais, relacionadas com a triagem e com o atendimento. Foi efetuada uma regressão logísti ca binária com variáveis identificadas por análise univariada para avaliação de fatores associados ao abandono.

Resultados: Durante o período de estudo foram inscritos 55 383 doentes, dos quais 280 (0,5%) abandonaram o serviço de urgência. A regressão logísti ca binária após ajuste para o tempo de espera demonstrou que a cor azul da triagem (odds rati o = 2,80; intervalo de confi ança 95% = 1,15-6,83) e a admissão no serviço de urgência entre as 16 e as 24 horas (odds rati o =1,75; intervalo de confi ança 95% = 1,29-2,37) encontravam-se associados a um maior risco de abandono. A cor amarela na triagem (odds rati o = 0,46; intervalo de confi ança 95% = 0,27-0,80) encontrava-se associada a um menor risco de abandono.

Discussão: O presente estudo confi rmou o papel do tempo de espera como principal fator preditor de abandono do serviço de urgência antes da observação médica. No entanto, outros fatores como a gravidade clínica ou o horário de recurso ao serviço de urgência mostraram também ter importância, realçando o caráter multi fatorial dessa decisão por parte dos pais.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biography

Rodrigo Sousa, Departamento de Pediatria, Hospital de Santa Maria (CHLN), Centro Académico de Medicina de Lisboa

Editor da Acta Pediátrica Portuguesa desde 2014

Published

2016-12-12

Issue

Section

Original articles

Most read articles by the same author(s)

<< < 1 2 3 > >>