Ventilação não invasiva com pressão positiva intermitente - experiência de sete anos

Authors

  • Cristina Resende
  • Margarida Fonseca
  • Joana Mesquita
  • Dolores Faria
  • Gabriela Mimoso
  • Carlos Lemos

DOI:

https://doi.org/10.25754/pjp.2012.2349

Abstract

Introdução: A ventilação de pressão positiva intermitente nasal (NIPPV) é um método de ventilação não invasiva que associa as vantagens da pressão positiva contínua das vias aéreas (NCPAP) ao benefício dos ciclos de pressão positiva.

Objectivos: Descrição da experiência de NIPPV, numa unidade de cuidados intensivos neonatais, duma maternidade de apoio perinatal diferenciado.

Métodos: Estudo de coorte histórica dos recém-nascidos (RN) ventilados em NIPPV, no período de Janeiro de 2002 a Dezembro de 2008. Foram considerados dois grupos; 1ºgrupo: RN submetidos a ventilação mecânica convencional (VMC) e, após extubação, NIPPV. Estes grupos foram subdivididos em 2: subgrupo A, VMC seguida de NIPPV e subgrupo B,VMC seguida de NCPAP seguida de NIPPV; 2º grupo: RN que iniciaram ventilação com NCPAP ou NIPPV. Foi subdividido em 2: subgrupo C, NCPAP seguido de NIPPV e subgrupo D, NIPPV como método inicial de ventilação. Considerou-se sucesso a não necessidade de VMC nas 72 horas após inicio do NIPPV:

Resultados: Foram submetidos a NIPPV 116 RN, correspondentes a 134 ciclos de ventilação. No Grupo 1 analisaram-se 79 ciclos e no Grupo 2 55 ciclos. A taxa de sucesso no Grupo 1 foi de 89% e no Grupo 2 de 69%. Os RN do Grupo 1 tinham peso de nascimento mediano de 925 gramas (g) e idade gestacional mediana 27 semanas (S) e os do Grupo 2 tinham 1350g e 30S respectivamente.

Conclusões: A NIPPV foi usada com sucesso, sobretudo após extubação, em RN mais leves e imaturos.

Downloads

Download data is not yet available.

Issue

Section

Original articles

Most read articles by the same author(s)

<< < 1 2 3